Cinco erros no desmame

Quem acompanha o que eu escrevo já deve ter percebido. Não sou do time que faz campanha para a amamentação prolongada no peito. Por outro lado, também não defendo que, em condições normais de emoções e nutrição (ou seja, quando o bebê está engordando dentro dos parâmetros esperados e a mãe está bem com o ato de amamentar), a amamentação seja interrompida antes dos seis meses. O que eu acho é que cada família – melhor se acompanhada por um profissional especializado – tem que encontrar seu jeito de criar os filhos dentro de alguns limites de segurança, vamos dizer assim. Por que estou falando nisso agora? Porque desde que comecei a escrever sobre desmame e introdução de mamadeira, todos os dias recebo mensagens de mães com problemas. Muitas têm justificativas bastante plausíveis para oferecer a mamadeira aos filhos. Boa parte delas, como aconteceu comigo, precisa voltar a trabalhar. Mas tem uma porção de gente adotando hábitos antigos e perigosos para a saúde do bebê. Resolvi listar alguns deles aqui com alternativas mais saudáveis. Vamos lá:

1. Usar farinha láctea e similares para engrossar papas de frutas ou leites.

Esse tipo de alimento é rico em calorias e pobre em nutrientes. A não ser que essa seja uma recomendação médica, evite tal combinação. Em alguns casos muito específicos (como aconteceu comigo), quando o bebê não está gordo, é possível usar farinha de arroz para fazer uma papa do leite. Mas faça isso por um período curto (aqui em casa isso durou pouco mais de um mês) e sempre com o acompanhamento de um médico ou enfermeiro especializado.

Alternativa: Se o bebê permanece com fome depois de comer uma porção de fruta, por exemplo, dê outra.

 

2. Adoçar bebidas, como chás, sucos e o próprio leite.

Açúcar é um dos alimentos mais pobres que existem. É rico em calorias e nada mais. Além disso, o sabor doce costuma se sobrepor a outros mais sutis. Ou seja, a introdução precoce deste pó branco pode causar cárie, obesidade (e AA ela estão associadas uma série de doenças complicadas, como diabetes e hipertensão e, sim, elas acometem crianças!) e ainda prejudicar o paladar do seu filho.

Alternativa: Ofereça o alimento ao natural, simples assim. Se a criança não aceitar na primeira vez, tente todos os dias com porções cada vez maiores por, no mínimo, duas semanas. Só depois disso conclua se ele gosta ou não da coisa.

 

3. Oferecer leite em pó (ou fórmula) na mamada da noite para o bebê dormir mais.

É mesmo possível que seu bebê durma mais horas depois de ter tomado uma mamadeira de um leite que não é o seu, mas você está correndo o risco de que ele abandone o peito antes do previsto e ainda está deixando de dar leite materno, o que é muito mais nutritivo, para oferecer um alimento industrializado.

Alternativas:

  • Durma sempre que seu bebê dormir, mesmo que durante o dia, para que esteja mais disposta a enfrentar as mamadas da noite;
  • Mesmo que seu filho não acorde, pegue-o dormindo do berço e ofereça o peito antes de você ir dormir. Eu fiz isso por bastante tempo. Amamentava e colocava a Valentina para dormir por volta das 20h30 e, depois, quando eu ia para a cama, dali a três horas mais ou menos, amamentava minha filha dormindo. Assim, ela só acordava depois das 7h;
  • Se as medidas acima não forem suficientes, tente ordenhar o leite que sobra das mamadas durante o dia e prepare uma mamadeira noturna para que outra pessoa (o pai, a avó, a tia, a vizinha, a babá) dê ao bebê enquanto você continua dormindo.

 

4.       Dar mamadeira para bebês muito pequenos, até mesmo recém-nascidos, sem que haja necessidade de complementar o leite materno.

Em geral, é mais fácil mamar na mamadeira do que no peito porque o fluxo de leite é mais rápido. Por isso, há muitos casos de bebês que acabam se acostumando com essa facilidade e abandonam o peito antes da hora.

Alternativa: Deixe para introduzir a mamadeira só quando precisar ou quiser desmamar.

 

5.       Acrescentar achocolatados ou mel ao leite.

Por mais que seja um adoçante natural com maior valor nutricional do que o açúcar, o mel só é indicado a crianças com mais de um ano. Isso porque ele pode causar diarréia (tem efeito laxante) e ainda apresenta risco de infecções. Já o achocolatado tem os mesmos problemas do açúcar (leia item 2).

Alternativa: Simplesmente não adoce o leite. Ele já é um alimento bem rico e saboroso, não precisa de complementos.


COMPARTILHE!




LEIA TAMBÉM: