Diário de NY #9: um dia de domingo



diario_de_ny_9
diario_de_ny_9_2
diario_de_ny_9_3

Tem dias que a gente sai de casa com tudo bem planejadinho, né? Compra ingressos pra isso, marca aquilo, combina com fulano e tal. Organizar as coisas sempre ajuda. Não dispenso uma certa preparação para me sentir segura. Mas, ainda assim, pode não fluir muito aquele dia. Já tem outros dias noa quais tudo que você tem é uma certa ideia do que quer fazer e simplesmente vai. Às vezes sozinha, às vezes as pessoas vão se juntando a você e os programas vão acontecendo.

E foi assim num domingo desses aqui em NY. Bom, acontecer assim das coisas irem dando certo e você encontrar pessoas e fazer programas, combina mesmo com um dia de domingo. Saímos de casa perto do meio-dia junto com uma amiga do Brasil que estava na nossa casa há uma semana. Rumamos os três para o Harlem, que é nosso vizinho, em busca de um restaurante que tinha brunch e música ao vivo. Mas de longe não sabíamos o que iríamos encontrar. Um lugar mega animado no Boulevar Malcom X, o Sylvia’s serve uma comida um pouquinho pesada (um baita frango frito ou com um molho), mas o ambiente é totalmente animado, cheio e musical. Enquanto as pessoas comem, dois músicos tocam sax e teclado, e a vocalista, uma cantora negra de soul music, canta pelas mesas com seu vozerão. Em cada mesa ela pergunta de onde as pessoas são e anuncia: Brazil is in the show!

O melhor de tudo foi ver como o Gabriel adorou. A música, sempre a música. Chegamos um pouco tarde para o brunch, então pedimos foi almoço mesmo. E ali ficamos naquele astral até às 4 da tarde, quando o trio encerrou o show. E já éramos quatro em nossa mesa, onde se juntou a nós outra professora brasileira em pós-doutorado em Columbia.

E assim nosso dia de domingo foi fluindo e estava longe de acabar. Na volta pra casa, daríamos uma passarinha pra conhecer o teatro Apollo, palco de lendárias apresentações de músicos incríveis como Duke Ellington, Ella Fitzgerald e outras feras. Na porta do teatro havia uma fila. Onde tem fila, tem algo acontecendo, né? Era a fila pro show gospel que comemoraria os 80 anos do teatro. E com entrada franca. Claro que já ficamos na fila e acabamos assistindo ao show com uma dezena de belos cantores e cantoras negros, como mais de 70% da população do bairro. Inclusive tendo a oportunidade de testemunhar que para a plateia habitual do gospel, o show vai além do que a apreciação musical. Eles têm um verdadeiro contato com o divino durante o show. Coisa que pra mim não fluiu pelo estilo talvez, mas a música estava ótima. O Gabriel adorou o show, claro. E já estava levantando os bracinhos e tudo, igual boa parte da plateia.

E nosso domingo ainda teve neve na saída do teatro e um jantar com nosso grupo e mais um amigo, conhecido aqui e que faz doutorado na NYU. Estava ótimo e foi acontecendo suavemente, no decorrer do domingo. Viva os encontros!

 

 

DIÁRIO VISUAL

Puppet show numa livraria que só tem livros pra criança. Na Broadway, perto de casa.

 

Diario-NY_1Timber Wolves em foto oficial! :)

Diario-NY_5Musical com canções do Bob Marley. Bem fofo! Sexta à noite, no Victoria Theater.

Diario-NY_3Bom dia! Para refrescar os amigos de Floripa: Gabito com seu milkshake de morango da Haagen-Dazs.

Diario-NY_4Back to Eataly! Êta lugar bom! Hum, adoro! Agnoloti e chocolate. Aliás, ô cidade para ter chocolate bom!

Diario-NY_6Neve + chuva= meleca. Fome + preguiça de cozinhar = comida chinesa. No Ollies Noodle Shop & Grille.

Diario-NY_2E a “pequena” saladinha que chegou! No Kitchenette Uptown.


COMPARTILHE!




LEIA TAMBÉM: