Diário de NY: temporada de férias



diario-de-ny-ferias1
diario-de-ny-ferias2
diario-de-ny-ferias4
diario-de-ny-ferias3
diari-de-ny-ferias-5

Sim, o tema não pode ser outro já que Gabriel terminou o ano letivo no final de junho. Em julho tivemos foi um bocado de tempo livre, calor e invenção de coisas pra fazer. Bom, na verdade, igual ao inverno na parte de inventar o que fazer e bem diferente em relação à parte do tempo livre. Pelo menos o tempo livre dele, claro. O meu virou ginástica. Um pouco pra aproveitar as férias da criança, um pouco pra manter no que é possível o ritmo de trabalho. Sem dúvida, o fato dele já ter 7 anos ajuda por um lado. Enquanto eu estou aqui escrevendo, ele tá lá no quarto dele brincando sozinho de lego. Mas aí a batata da maionese tá no fogo, a louça do café da manhã já foi lavada e o fim do expediente se aproxima rápido. Na parte da tarde já é hora de passear.

Então vamos concentrar o texto na parte da diversão mesmo que dá mais certo. Bom, pra começo, morar numa cidade como Nova York é diferente de passar férias. Quando se vai de férias pra qualquer lugar, você tem uma agenda frenética porque o tempo é curto pra aproveitar tudo. Morar num lugar, mesmo pelo tempo determinado de um ano, te apresenta outro ritmo. Um ritmo que você aprende a ter, na verdade. Porque mesmo morando, a tendência é que a gente queira aproveitar e gastar como se estivesse na cidade por apenas uma semana. Mas aí acho que já entrei no ritmo.

Como eu disse antes, priorizo estar em casa pela manhã, num ritmo mais calmo. Em período de aula aqui Gabriel acorda impreterivelmente às 7h da manhã. Então, nas férias, dorme tarde e acorda mais tarde. Passar o dia na rua com calorão, as distâncias de NY e o quanto se anda a pé também não dá, a menos que a agenda do evento peça uma saída cedo.

À tarde, continuamos inventando de tudo. Piscina pública. Já fomos numa que fica no Central Park. No inverno é rinque de patinação. No verão, piscina. Achei muito interessante. Primeiro que é uma opção com água numa cidade que não tem praia a menos de 1h30 de metrô. Para a Lasker Rink and Pool, no Central Park, fomos a pé. Fica na parte norte do parque, pertinho de onde moramos. Você precisa levar um cadeado com chave ou senha para poder guardar suas coisas no guarda-volumes. Sem isso nem te deixam passar do portão. Fui sem, claro. Me avisaram na fila e saímos eu e Gabriel apressados pra comprar. Mas deu tudo certo. Não permitem entrar com muita coisa, mas achei melhor. Fica no guarda-volumes o celular, a mochila, qualquer comida ou bebida que não seja água. Só entra toalha e protetor solar. E tem que tomar uma ducha antes de cair na água. A piscina é grande e não chega a ser grande aglomeração durante a semana. Foi um bom dia de diversão. As férias continuaram. Conto mais semana que vem.

 

DIÁRIO VISUAL

A vocação musical de Gabriel e está a mil em Nova York! Aqui, uma palhinha na jam session em pleno parque. Sobe o som!


COMPARTILHE!




LEIA TAMBÉM: