Como evitar o xixi na cama

O colchãozinho na janela em dias de sol dá a pista: ali pode haver um menino ou menina que faz xixi na cama. Estima-se que 15% das crianças no mundo sofrem da chamada enurese, a incontinência urinária noturna. O problema geralmente não chega a ser grave, mas, pais e mães sabem, pode trazer constrangimentos aos pequenos quando dormem fora de casa. É importante ressaltar que são considerados casos de enurese noturna quando o xixi na cama acontece após os 5 anos de idade. O tratamento é baseado em terapia comportamental, treinamento do controle da bexida – ministrado por enfermeiros ou fisioterapeutas – ou com a ingestão de medicamentos, de acordo com o urologista José Carlos Truzzi, coordenador do Centro de Apoio e Reabilitação de Disfunsões Urinárias do Fleury Medicina e Saúde. Os pais que têm filhos que fazem xixi na cama, também podem seguir algumas dicas:

1. Ofereça água e sucos para a criança, preferencialmente pela manhã e à tarde. Opte por garrafinhas, porque motiva o tratamento e controla a ingestão diária de líquidos, mantendo a boa hidratação;

 2. Evite bebidas como café, chás com cafeína e refrigerantes.

3. Tente evitar líquidos num período de duas a três horas antes de dormir, readaptando o horário do leite;

 4. Busque uma refeição rica em fibras, frutas e verduras para evitar a constirpação intestinal: o intestino preso pode piorar a enurese;

5. Estimule que a criança faça xixi antes dormir e ao levantar. Se for necessário, programe intervalos específicos para o xixi durante o dia ou noite. Consulte um médico, fisioterapeuta ou enfermeiro especializado para mais orientações;

6. Identifique se a criança está postergando a hora de fazer xixi e estimule-a a ir ao banheiro;

7. Permita que a criança tenha uma posição confortável no vaso sanitário, oferecendo assento menor e apoio para os pés, evitando que fiquem balançando no ar;

8. Estimule a paciência da criança na hora do xixi através de músicas ou contagem de números. É importante o esvaziamento completo da bexiga cada vez que ela faz xixi;

9. Recompense a criança pelas noites secas e motive-a assumir a responsabilidade pelo problema em si e pelo tratamento também;

10. Não culpe ou castigue a criança pelo que está acontecendo.

Vale lembrar de sempre conversar com seu pediatra, pois há casos em que é necessária uma investigação mais aprofundada do problema e tratamentos mais específicos.

José Carlos Truzzi, coordenador do Centro de Apoio e Reabilitação de Disfunsões Urinárias do Fleury Medicina e Saúde, com dicas da fisioterapeuta Luciane Marin Braghetta e da enfermeira Lúcia Satie Hamanaka, do Centro de Apoio e Reabilitação de Disfunções Urinárias do Fleury Medicina e Saúde.

Imagens: [1] Jayanta Behera; [2] Justyna Furmanczyl

 


COMPARTILHE!




LEIA TAMBÉM: