Férias: o pesadelo do tempo livre

cabracega2-2Quando chega esta época do ano, uma espécie de hecatombe despenca na vida dos pais: o que fazer com o tempo livre das crianças? Chegam a ser engraçadas as conversas entreouvidas nas pracinhas e escolas. É como se o apocalipse estivesse se aproximando.

Eu sei que já escrevi um post aqui sobre a esquizofrenia que certos pais tem de ocupar todos os minutos da criança com o que eles acham úteis para o futuro mercado de trabalho. Entretanto, não é este o caso agora. Nas férias, o terror é ter que ficar finalmente com os filhos. Brincar com eles, dar banho, preparar a comida, dar atenção. Esquecer o i-Phone, Facebook, Instagram, i-Pad. Exercer integralmente, enfim, a maternidade e a paternidade. Em tempos de aulas, pode-se botar a culpa no horário da escola e no excesso de trabalho, que fazem com que muitos pais só vejam os filhos dormindo e no final de semana – quando acabam contratando uma babá folguista, afinal, dois dias inteiros cuidando de criança depois de uma semana exaustiva, não há quem aguente.

E quando está todo mundo de férias, qual a desculpa? Ora, os pais precisam descansar depois de tanto trabalho. Então, criou-se todo um mercado para que os pequenos tenham seu precioso tempo livre devidamente ocupado bem longe dos pais. Aqui no Rio há diversas colônias de férias nas próprias escolas, em que os pais pagam sei lá quanto para que a criança não deixe nunca de frequentar as aulas. Há outras colônias, inúmeras, mas que também criam um compromisso de frequência, jogando o tempo de descanso dos pequenos na lata do lixo.

Semana passada, telefonei para um hotel em Búzios e perguntei se havia espaço para crianças brincarem. A atendente me disse assim: “Aqui os pais podem ficar sossegados. As crianças ficam com nossos recreadores hiper treinados em tempo integral. Só voltam no final da tarde, de banho tomado. Vocês nem encontram com elas, é excelente!”. Um outro anúncio de hotel prometia milhares de afazeres infantis com o seguinte slogan: “Porque os pais merecem”.

A criança é tratada como um estorvo a ser resolvido. Um problema que os pais precisam se livrar. Se pais e filhos estão de férias, por que não aproveitar todos juntos? Pode ser uma viagem, ou mesmo dias livres em casa, com passeios e brincadeiras que nem sempre são possíveis em tempos de muito trabalho? Se os pais estão trabalhando, então porque não tentar chegar mais cedo nestes dias, dispensar a tal folguista, e ficar um pouco mais com os pequenos, mostrando a eles que as férias são diferentes da rotina, ou seja, muito mais prazeirosas? Os pais merecem descansar, é claro. Mas os filhos também merecem ter seus pais por perto e por inteiro. Ainda que seja ao menos uma vez por ano.

Fotos: Gustavo Lacerda para n.magazine

<Anterior     Próximo>

 


COMPARTILHE!




LEIA TAMBÉM: