O microcosmo de Hélio Leites

Conheci o artista Hélio Leites num passeio pela feira de artesanato que acontece aos domingos no Largo da Ordem, em Curitiba, há alguns bons anos. Nunca me esqueci do encantamento que seu universo tão particular me causou. Hélio é um artista de muitas linguagens. Cria objetos e desobjetos com materiais do cotidiano, cenários em miniatura para as estórias que, performático, conta aos visitantes de seu microcosmo na feira do Largo. Tudo começou com botões, nos anos de 1980. De lá para cá, ganhou visibilidade nacional, fundou o Museu do Botão e foi tema do livro Pequenas grandezas – Miniaturas de Hélio Leites, organizado por Rita Pires.

 Ratinho de biblioteca 
 
Presépio
 Sermão aos peixes na lata de sardinha

Recentemente, Hélio Leites participou da série de mini-documentários O que é tristeza pra você?, em que artistas falam sobre sua visão sobre a tristeza e mostram um pouco de seu universo artístico e poético.

“Quando a gente vai procurar o que fazer dentro da gente, acontece uma coisa incrível, a gente sempre acaba fazendo o que a gente gosta. E fazer o que a gente não gosta é o pior desemprego do mundo.”


Hélio Leites from Cesar Nery on Vimeo.

Conheça um pouco mais sobre o universo do artista em seu Flickr.

Por Paula Albuquerque

COMPARTILHE!




LEIA TAMBÉM: