Férias: 10 dicas de viagem com crianças

Por Erika Kobayashi 

 

LUGAR NO AVIÃO Você já sabe que a primeira fila tem mais espaço e que há suporte para moisés na parede. Tem bebê? Corra para reservar esses lugares concorridos. O filho é maiorzinho? Vale pensar:  os braços das poltronas geralmente não se erguem, então o soninho no colo fica complicado. E se a fila é logo na saída do banheiro, pode ser difícil ele pegar no sono.

VOANDO SAUDÁVEL
Para aliviar a pressão no ouvido dos bebês na decolagem e aterrissagem, você pode dar uma mamadeira com leite ou água (não esqueça de enchê-la logo depois do embarque) ou a chupeta. Chicletes ajudam as crianças maiores. Vale lembrar: não é recomendado voar com bebês menores de 3 meses, nem com crianças resfriadas.

ALIMENTAÇÃO DURANTE O VOO Verifique na reserva se a empresa aérea que você escolheu oferece um menu infantil (geralmente composto de espaguete, nuggets e sucos de caixinha). Como essa prática é cada vez mais rara, garanta-se com lanchinhos para beliscar entre as refeições, como barrinhas de cereais e queijos pasteurizados com bolachinhas.

RITMO DE VIAGEM Se esta é a primeira viagem que vai fazer com as crianças, aborte o esquema maratona, com horários rígidos e programação intensa. Elas levam um tempo diferente para acordar, sair da cama, se alimentar, caminhar e até absorver as novidades. Procure seguir o ritmo delas.

HORA DO BANHO Caso não tenha certeza se o lugar tem estrutura para o banho de bebês e crianças menores, uma banheirinha inflável é uma boa alternativa, pois não ocupa espaço e salva a pátria.

A HORA DE PARTIR Pegar a estrada bem cedo pode garantir um final de soninho para os pequenos. Bom, porque a viagem vai parecer mais curta (e evitar pelo menos alguns Falta muito?). Melhor: evita um fuzuê no relógio biológico das crianças, pois elas têm chance de aproveitar o dia no destino, cumprir os horários de alimentação, e dormir no seu horário normal.  Em tempo: viagens longas acabam com a paciência dos pequenos – e dos pais. Planeje no máximo 500 quilômetros diários, com parada a cada 2 horas.

VIAGENS DE CARRO Vá com as crianças de maneira segura e de acordo com a lei. As novas regras brasileiras estipulam bebê conforto (com a cabeça voltada para o fundo do carro) para bebês de até um ano, cadeirinhas para crianças de 1 a 4 anos e assento de elevação para quem tem entre 4 e 7 anos e meio. O banco da frente só está liberado para os maiores de 10 anos.

JOGOS E DVD PORTÁTIL Necessários para o entretenimento de crianças em espaços restritos, como cabines de avião. Carregue os itens mesmo se a viagem planejada envolver atividades ao ar livre: eles podem ser a salvação em dias de chuva. Não quer eletrônicos? Não há criança que resista aos jogos de adivinhação ou, no carro, brincar quem da família conta mais placas de trânsito.

COMO TRANSPORTAR CRIANÇAS O sling é recomendado para bebês. Carrinhos leves e dobráveis (cujo tamanho é mais ou menos ao de um guarda-chuva fechado) são bons para terrenos planos e o canguru para trilhas e terrenos menos estáveis.

PRIMEIROS SOCORROS  Não dá para viajar sem uma farmacinha básica. O kit deve incluir medicamentos para dor de cabeça, dor de ouvido, dor de garganta, febre, vômito, diarreias e picadas de inseto. Não se esqueça de termômetro, curativos e antisséptico.


COMPARTILHE!




LEIA TAMBÉM: