Tosco Pai Viaja: Rosario – Argentina [parte 1]



toscopai-rosario-argentina-parte1
toscopai-rosario-argentina-day1-01
toscopai-rosario-argentina-day1-02
toscopai-rosario-argentina-day1-03
toscopai-rosario-argentina-day1-04
toscopai-rosario-argentina-day1-05
toscopai-rosario-argentina-day1-06
toscopai-rosario-argentina-day1-07
toscopai-rosario-argentina-day1-08

Névoa, tempo fechado, tudo muito nublado, frio, não falo do clima, falo da minha cabeça.
Em Rosário teremos tempo bom, céu aberto e muito calor, teremos um curto verão no frio argentino.
Depois de uma tempestade… em copo d´água, preciso rever um pouco minhas preciptações, partimos eu e Alice, rumo a Rosario.

Acordei 04:23 e acordei ela às 5:00, o carro chegou e, no caminho, algum medo de perder o avião, o carro era para estar em minha porta às 5:30, chegou às 5:50. E eu que tinha feito 3 malas – além ukulele –, resolvi ouvir e acatar minha mulher e reduzi o volume para caber em duas.

No caminho, o medo de perder a hora só aumentava, tivemos que parar e trocar de carro pois o que estávamos veio apenas para me salvar e me tirar do bairro, visto que o primeiro motorista destinado a me apanhar perdeu a hora, não o sono.
Alice acordou na zona leste.

– Ei, pai, isso aqui já é a Argentina?
– Não, filha, estamos em São Paulo, ainda nem chegamos no aeroporto…
– Então posso dormir mais um poquinho?
– Claro, dorme aí…

A figura do bom pai tentava substituir ou amenizar a de mau-marido (visto a tempestade em copo d´água). Ainda saía com resquícios da briga, mas, sobretudo, não poderia deixar isso transparecer. Alice começaria sua primeira viagem internacional e estava ansiosa por isso.

No aeroporto – e no horário, graças a eficiência e habilidade do motorista em cortar caminhos –, fomos procurar Aline, a moça da TAM responsável por nosso embarque e viagem.
Ela nos orientou e ajudou a despachar as bagagens, também foi procurar as outras pessoas do nosso grupo.
Fomos até um banco para eu transferir dinheiro de mim para mim mesmo. Missão cumprida.

– Pai, tô com fome!
– Opa, vamos comer… Lá dentro da sala de embraque…
– Por que tem que ser lá dentro?
– Pra gente não se atrasar…
– Mas a gente tá atrasado?
– Não…
– Então vamos comer…
– Vamos entrar, amor…

Entramos, algum tempo de inspeções e apresentação de documentos.
Ficamos livres procuramos um café. Antes, fui só me certificar onde era o nosso portão de embarque. Descendo as escadas rolantes avisto Cacá e Bia – ainda não sabia quem eram elas, não haviámos sido apresentados, mas olhei pra elas por um tempo…

Permisso, acá és el vuelo para Rosario
– Sim, mas ainda está cedo…
– Tá, mas é aqui…
– Sim…
– Pai…
– O que, Alice?
– Tô com fome de coisa salgada e sede…
– Ah, é…

Subimos…

– Não, pai, é melhor pela escada rolante…
– Mas essa só desce Alice…
– Mas é melhor…
– Melhor o que, se só desce?
– Vamos, pai…
– Vai tu… Eu vou pela normal.
– Tá…
– Não tá nada! Vem aqui, tem que ser por essa…

Olhamos para a vitrine dos salgados e ela prontamente apontou para as coxinhas, o que era óbvio, enfim, nem argumentei sobre o péssimo hábito de se comer coxinhas pela manhã, pedi duas, um café e um suco de uva.

– Pai, essas duas coxinhas são minhas?
– Não, uma é minha e a outra é tua…
– Mas você tem que dividir…
– Eu tô dividindo, são duas, uma é minha a outra é tua…

Come a dela sem tirar o olho da minha…

– Pai?
– O quê?
– Se você não quiser mais, eu posso comer a sua!
– Tá, mas te preocupa com a tua, pois a minha já tá acabando cara…
– Pai… Cê vai comer tudo?
– Sim, Alice! Que coisa, cara?
– É… É que eu gosto de coxinha…
– Bah, sério!? Eu não sabia…
– Pai?
– Quê?
– Abre meu suco de uva?
– Sim…
– Cê tá brabo?
– Não, só chocado…
– O que é chocado?
– Surpreso e assustado ao mesmo tempo…
– Ah, tá…
– Vamos, filha, tá quase na hora, pode ir comendo

Descemos, ficamos de frente para o portão 4 b.
Alice reencontrou Aline e fomos apresentado para Eliane e Pedro, Bia e Cacá.

– Alice, quer mais suco?
– Não!
– Tem certeza?
– Sim!
– Bueno, depois não vai ter mais.

Parecia que eu estava adivinhando que essa seria nossa mais difícil missão na Argentina: encontrar seu tão amado suco de uva.
Tomou mais um pouco e abandonou…
Ao mesmo tempo, o último pedaço de sua coxinha cai no chão… Me antecipei a ela e, antes que ela pudesse tentar pegar, já joguei o pedaço no lixo e tomei o resto do suco, pois é para isso que servem os pais: limpar o prato, comer os restos e até encarar as passas e a parte mole do tomate…

Embarcamos!

– Pai, quero fazer xixi?
– Agora?
– Todo tempo lá fora e agora que tu me pede?
– É que eu estou com vontade agora, antes eu não tava…
– Alice?
– É sério!
– Beleza! Consegue segurar um pouco? Assim que mandarem desafivelar os cintos o pai te leva…
– Cadê meu suco de uva?
– Tá na lata do lixo, eu tomei todo o resto e depois coloquei lá, onde deve ficar…
– Ei…
– Ei o quê? Eu te avisei…

Nada mais restou para a garota, apenas dormiu…
Depois de algum tempo, acordou assustada, chorava, pensei que ela estivesse constrangida por ter feito xixi na calça, por eu pedir para segurar um pouco, mas já tem cinco anos e muito controle de suas funções. Chorava porque havia sonhado com a nossa cachorra Baba, que morreu em março desse ano e, no seu pesadelo, eu tinha abandonado a Baba só por estar velha…

– Você abandonou a Baba…
– Nossa, filha, que sonho ruim…
– Não, pai, isso não é sonho, é um pesadelo…
– É, que pesadelo horrível… Mas o pai não faria isso, nem com a Baba, nem contigo…

Recuperou-se.
Nesse momento, toca uma música no televisor do avião…

Upside inside out
She’s living la vida loca
She’ll push and pull you down
Living la vida loca

Alice agora esquece seu sonho ruim e canta, uma versão melhorada dessa canção…

Ouça, ouça, ouça la vida loca
Ouça, ouça, ouça la vida loca.

Já eu começava a sentir minhas dores de ouvido, habituais em aviões, algo que muda o meu humor completamente, mas sua canção segurava ainda o monstro que estava prestes a surgir…

– Pai, tô com fome…
– Come esse bolinho…
– É salgado?
– Não…
– Eu tô com fome de coxinha…
– Não tem…
– A gente já vai pousar?
– Não. Tá longe.
– Mas eu quero pousar…
– Mas não é o que tu quer, é o que o comandante manda!
– Mas eu tô com fome…
– Beleza, come o bolinho doce.
– Mas eu quero salgado… Ei? Cadê minha coxinha?
– Tu derrubou.
– Você que derrubou. Você fez eu caminhar comendo. Eu quero pousar.
– Alice, se tá com fome come esse bolinho.

Comeu. Pouco, mas comeu.
Durante algum tempo, ouvi repetidamente o…

– Já vai pousar…?

Da cabine o comandante anuncia.

– Senhores passageiros, 20 minutos para o pouso.

Retiro os dois cichetes que tenho no bolso e coloco os dois na boca de uma vez…
Alice se encanta com os chicletes, pede para eu fazer os “balões estourados” como chama desde os seus três anos…
Isso ajuda a passar aqueles que são os 20 minutos mais longos da história.

– Tripulação, pouso autorizado.

A dor aumenta, o mau-humor também.
Descemos. Alice procura Aline e mais uma vez encontra e quer ficar só com a nova amiga.
Identificações, apresentação de documentos e claro os primeiros problemas com a língua.

– Raymundo é apellido?
No! Sobrenome?
Sobrenombre?
No! Como se dice?
Sobrenombre ou apellido?
En Brazil, sobrenombre… Acá apellido, eso, Raymundo és apellido.
Una foto…
Sí…
Ahora la nenã…
– O que é neña?
– É nenê…
– Eu não sou nenê…

Passado tudo isso, chegamos na van, onde Alice passou sempre a me corrigir…

– É perua, pai!

Fomos apresentados à Cláudia, guia turística, e Emanuel, nosso chofer.
Seguimos pela cidade e eu não ouvia ninguém, estava surdo.
Apenas via as bocas mexerem e sorrisos e Alice falando bastante.
Passei a acenar com a cabeça, como se estivesse entendendo tudo. Alice agora canta em inglês e português os temas de Frozen…

– Livre estooou, livre estoooou!! Let it go, let it go

No hotel, almoço e o encontro com os nossos anfitriões. A Argentina já começa a encantar a Alice: papas-fritas, não há arroz, o acompanhamento é sempe papas ou batatas. Comemos uma boa carne, e pedimos suco, eu pedi limonada – não se pede sumo de limón, caso o faça, terá apenas um limão espremido –, Alice pediu um de naranja, sem gominhos…

– Pai? Posso provar seu suco?
– Pode!
– Bom…
– Legal…
– Posso provar de novo?
– Pode…
– Hummm, meio azedinho…
– É…
– Posso provar de novo?
– Tu não quer ficar com o meu?
– É… Eu acho que quero…
– Por quê?
– Porque o seu tem menos gominhos…
– Ei, Ricardo…

Interrompe, Héctor…

Si, Héctor…
En la próxima vez pida um jugo colado…
Colado?
Si…

Virou nosso mantra! Jugo colado.
O primeiro passeio em Rosario foi na Plataforma Lavardén, acompanhados sempre de Emanuel, mas agora com Julia, que me apresentou a rota das boas cervezas e bons bares de de Rosario.

A plataforma foi o local onde um rosarino ilustre fez seu primeiro show, Fito Paez. Ele ama essa casa e numa de suas músicas diz que está sempre “cerca de Rosario”.

Alice se encantou com Galeria de los Roperos, e brincou feliz, além de andar pela primeira vez em um carrosel, algo que me pede desde seus dois anos de idade.

Uma hora e pouco lá dentro, pudemos desfrutar e perceber uma alegria imensa nas crianças que corriam felizes numa cama gigante e pulavam alto nela, três idades diferentes no nosso grupo  – cinco, oito e treze –, porém todos partilhando da mesma alegria e entusiamo.

 

tosco-pai-rosario-argentina-nmagazine-day1-02

 

tosco-pai-rosario-argentina-nmagazine-day1-04

 

tosco-pai-rosario-argentina-nmagazine-day1-05

 

Agora, seria a vez de conhecer o monumento à bandeira, Rosario tem uma particularidade: a bandeira da Argentina foi criada na cidade, motivo pelo qual há um grande monumento a ela.  E basta olhar para o céu de Rosario para entendermos de onde veio a inspiração dos criadores, o sol brilha tão amarelo e o céu azul é cortado por brancas nuvens que nos faz pensar como foi fácil desenhar, bastou olhar pra cima.

 

tosco-pai-rosario-argentina-nmagazine-day1-03

 

Depois voltamos para o Hotel Presidente, um pequeno descanso antes do jantar.

Porém eu e Alice não descansamos, saímos para procurar “jugo de uva” e “sacar unas platas”, o dinheiro conseguimos, o suco de uva, não. Andamos, andamos e hablamos e nada, todas as uvas argentinas têm um só destino: o vinho.
Alice aceitou o de manzana.

No hotel, a menina viu uma banheira e ficou encantada. Enquanto eu preprarava seu banho, assistia seus desenhos prediletos, só que agora todos seus queridos personagens falavam espanhol.
Nadou feliz na banheira, se declarou uma sereia e foi difícil tirá-la da água.

Fomos jantar no restaurante Maddalenitos. Eles tem um complexo para crianças: os pais almoçam ou jantam tranquilos enquanto os filhos brincam numa área recreativa só para eles e podem comer dentro dessa área e brincar ao mesmo tempo. Comemos e comemos muito bem. Pedimos uma pizza e un carlito, que é um misto quente gigante com muito ketchup. E papas fritas, nosotros siempre tenemos papas-fritas.
Entramos na van e Alice quis ir no colo de Aline. Logo vi seu pequeno bracinho mole, o sono havia chegado.
Bajamos todos, boa noite Emanuel, e entramos no hotel.
Juntei as camas de solteiro, coloquei ela para dormir e assim acabou nosso primeiro dia, em nossa primeira viagem internacional.

PARA SABER MAIS

CURTIR

CLUB ATLÉTICO NEWELL’S OLD BOYS
O QUÊ?
Estádio do Newell’s Old Boys, por onde já passaram Leonel Messi, Maradona e Tata Martino, atual treinador da seleção argentina. Para conhecer os campos e as instalações, é possível fazer uma visita guiada de cerca de 1h30 (Reservas: visitasguiadas@newellsoldboys.com.ar; cultura@newellsoldboys.com.ar; Tel: +54 (0341) 156 620132)
ONDE? Parque Independencia, S/N
MAIS INFOS  www.newellsoldboys.com.ar

EL JARDÍN DE LOS NIÑOS
O QUÊ?
Parque lúdico que incentiva a imaginação e criatividade dos pequenos em atrações pedagógicas e divertidas. Fazem parte do complexo a “Montañita Encantada”, que trabalha os elementos da natureza; o espaço “Leonardo, el Inventor”, sobre as criações de Leonardo da Vinci; a “Máquina de Volar”, que, como o nome indica, permite “voar”, entre outras atrações.
ONDE? Parque de la Independencia; +54 (0341) 4802421.

LA CASA DEL TANGO
O QUÊ?
Inaugurada em 2004 em um antigo galpão da companhia férrea totalmente reformado, celebra a cultura do tango, com grande tradição em Rosario. Nos domingos, a pista é aberta para os que desejam dançar o ritmo argentino e, toda sexta-feira, as Tertulias Tangueras reúnem os aficcionados pelo ritmo em reuniões com música, apresentações e vídeos.
ONDE? Illia Pte. Arturo, 1750, +54 (0341) 4802415
SITE www.facebook.com/casadeltangorosario

LA GRANJA DE INFANCIA
O QUÊ?
Aqui as crianças entram em contato com os animais, os utensílios e as tarefas típicas da Granja, um hábitat ribeirinho com flora e fauna próprios do litoral argentino, além de horta e viveiro de espécies.
ONDE? Avenida Pte Perón, 8100; +54 (0341) 480-7848.

LA ISLA DE LOS INVENTOS
O QUÊ?
A antiga estação de trens Rosario Central foi totalmente reformada para dar lugar a este espaço que reúne jogos e brincadeiras que mesclam arte, cultura, ciência e tecnologia. Tudo pensado de forma lúdica para entreter os pequenos.
ONDE? Entre as calles Corrientes e Wheelwright; +54 (0341) 4802571.

MONUMENTO NACIONAL A LA BANDERA
O QUÊ?
Monumento construído no local onde o General Manuel Belgrano asteou pela primeira vez a bandeira argentina, em 1812. Tem galeria, cripa e um mirante que permite ver Rosario do alto!
ONDE? Calle Santa Fer, 581, +54 (0341) 4802238/ 9
MAIS INFOS monumentoalabandera.gob.ar

MUSEO DE LOS NIÑOS
O QUÊ?
Espaço que recria uma cidade, com ambientes como aeroporto, maternidade, supermercado, canal de televisão… Tudo planejado para que as crianças de 3 a 12 anos passem por situações típicas da vida urbana, mas numa grande brincadeira.
ONDE? Alto Rosario Shopping; +54 (0341) 410-6680.

PLATAFORMA LAVARDÉN
O QUÊ?
Centro cultural com a mágica Galería de los Roperos, onde portas de antigos guarda-roupas (os roperos) levam a ambientes especiais, como uma sala de fantasias, uma cama gigante, espaço de jogos e até um carrosel!
ONDE? Entre as calles Mendoza e Sarmento, +54 (0341) 4721462
MAIS INFOS plataformalavarden.com.ar

 

COMER

BEATLESMEMO PUB
CULINÁRIA
Pizzas, sanduíches, saladas e petiscos
ONDE?
Bv. Oroño, 107, esquina com Güemes; +54 (0341) 2230757
MAIS INFOS
www.beatlesmemopub.com.ar

EUSCAURIZA
CULINÁRIA
Regional/parrilla
ONDE?
Bajada Escauriza/Paseo Ribereño, La Florida
MAIS INFOS
www.escaurizaparrilla.com.ar

HELADERÍA COPACABANA
CULINÁRIA
Sorvetes artesanais
MAIS INFOS
facebook.com/copacabana.helados

LOBBY 360
CULINÁRIA
Regional e contemporânea
ONDE?
Avenida Corrientes, 919, Hotel Presidente
MAIS INFOS
www.lobby360.com.ar

MADDALENITOS
CULINÁRIA
Pizzaria e cozinha regional. Tem espaço infantil com jogos, cine 3D, oficinas e outras atrações para os pequenos. Tudo monitorado com circuito intermo no qual os pais podem observar os filhos.
MAIS INFOS
www.facebook.com/Maddalenitos

SUNDERLAND VIEJO BAR
CULINÁRIA
Argentina
ONDE?
Av. Belgrano 2010
MAIS INFOS
www.facebook.com/SunderlandBar

FICAR

HOTEL PRESIDENTE
ONDE?
Avenida Corrientes, 919; +54 (0341) 4242789
RESERVAS
www.solans.com/hotel/presidente/spa/hotel.php

 MAIS INFORMAÇÕES

SECRETARIA DE TURISMO DE ROSARIO www.rosario.tur.ar

 

>> Veja a [Parte 2] da viagem AQUI.

>> Veja a [Parte 3] da viagem AQUI.

 

* Viagem realizada a convite do Secretaria de Turismo da cidade de Rosário e pelo grupo LATAM Airlines (Tam Linhas Aéreas e LAN Airlines).


COMPARTILHE!




LEIA TAMBÉM: